Calundu

Início » comunicações

Arquivo da categoria: comunicações

Reuniões públicas calunduzeiras – segundo semestre de 2020

Já está disponível o calendário de reuniões públicas do segundo semestre de 2020. Para acessar, clique aqui.

Este semestre segue a mesma linha do semestre passado e será dedicado a debates de textos antigos sobre afrorreligiosidade brasileira, discussão de textos atuais que dialogam com os antigos e discussões de textos publicados na Revista Calundu. Não obstante, será mais curto em reuniões, em função das dificuldades impostas pela presente pandemia do COVID-19. Também por isso, todas as reuniões serão realizadas em formato de videoconferência, com links de acesso divulgados pelo grupo, por WhatsApp, momentos antes das reuniões (em caso de interesse, mandar e-mail para calunduzeiros@gmail.com).

Chamada aberta – Revista Calundu, v.4, n.2

A Revista Calundu, retomando um dos seus interesses centrais e o seu compromisso com a promoção de outras “formas-pensamento”, convida a toda a comunidade afrorreligiosa e acadêmica a publicar em seu Volume 4, Número 2, “Gira Epistemológica: ciências das macumbas e outras encantarias”.

Nessa chamada a Revista Calundu espera textos sobre os complexos procedimentos epistemológicos vivenciados nos calundus do presente (encantarias, candomblés, macumbas, umbandas, etc.) e a produção de outro “entendimento-mundo”, contracolonial, antirracista, produzido no encruzo, na encruzilhada, e fora dos limites monorracionais do pensamento ocidental.

Submissões para a Revista até dia 04 de Outubro de 2020.

Para submeter, acesse a Revista, clicando aqui, pelo sistema periodicos.unb e entre em “enviar submissão”. Para acessar desde já as normas de submissão, clique aqui.

Publicação do dossiê temático: dezembro de 2020.

Para ver a notícia desta chamada, clique aqui.

Tradição Calunduzeira: um conceito diaspórico

Em 14/07/2020, o nosso integrante Guilherme Nogueira participou da live “Tradição Calunduzeira: um conceito diaspórico”. A apresentação foi organizada pelo coletivo Sociolives, do Departamento de Sociologia da UnB, com o apoio do Grupo Calundu. Durante a videoconferência, Guilherme apresentou o conceito de “tradição calunduzeira” e debateu tópicos como a centralidade das mães de santo nas religiões afro-brasileiras, calundus coloniais e hodiernos e racismo religioso. A íntegra do vídeo está disponível no YouTube e pode ser vista logo abaixo.

 

Cronograma de reuniões de estudo do Grupo Calundu – 1/2020

O calendário das reuniões de estudo do primeiro semestre de 2020 já está pronto e pode ser encontrado aqui.

Este semestre será dedicado a debates de textos antigos sobre afrorreligiosidade e discussões de textos publicados na Revista Calundu.

O Calundu realiza reuniões públicas quinzenais, sempre com debates de bibliografia sobre as religiões afro-brasileiras que variam entre textos revisionistas e mais atuais. Algumas temáticas que transcendem a afrorreligiosa, mas que são centrais para a sua compreensão, como gênero, raça e pensamento social, são também debatidas em alguns encontros, sempre com suporte bibliográfico.

As reuniões são públicas e sem restrição de participação. Este semestre os encontros serão realizados quinzenalmente às terças-feiras, 19h, no ICS/UnB, andar térreo. Em caso de dúvidas, pergunte pela sala na recepção do instituto.

 

Submissão aberta à Revista Calundu Volume 4, Número 1, Jan-Jun 2020 – “Mães de Santo e Mulheres de Terreiro”

O Grupo de Estudos Calundu convida a todas e todos à submissão de artigos acadêmicos e textos livres para a edição 1/2020. Dossiê temático: “Mães de Santo e Mulheres de Terreiro”

“Mães de santo e mulheres de terreiro” é um dossiê com o objetivo de trazer para o debate a força criadora das mulheres, a perspectiva matrigestora muitas vezes encontrada nas casas de axé, as experiências de mulheres plurais e forças motrizes de religiões nas quais o papel feminino desafia padrões eurocêntricos para dar lugar a uma perspectiva negada na maioria dos espaços sociais contemporâneos.

Data limite para submissões: 10/04/2020

Serão avaliadas para publicação submissões de artigos acadêmicos, resenhas e textos livres. Favor atentar-se às normas de publicação, descritas no site do Calundu (clique aqui) e/ou no portal Periódicos.unb (clique aqui).

Submissões devem ser feitas por meio do portal Periódicos.unb (clique aqui), clicando no botão “Enviar Submissão”.

Reuniões públicas semestre 2 de 2019

O calendário de reuniões públicas do segundo semestre de 2019 já está pronto e pode ser encontrado aqui.

Este semestre será dedicado a continuação dos debates de textos sobre afrorreligiosidade e discussões dos temas que serão apresentados na Conferência ALARI.

O Calundu realiza reuniões públicas quinzenais, sempre com debates de bibliografia sobre as religiões afro-brasileiras que variam entre textos revisionistas e mais atuais. Algumas temáticas que transcendem a afrorreligiosa, mas que são centrais para a sua compreensão, como gênero, raça e pensamento social, são também debatidas em alguns encontros, sempre com suporte bibliográfico.

O calendário de reuniões públicas com a indicação dos textos que serão debatidos segue abaixo:

Data Atividade Texto(s) para leitura
30/08/2019 Forças ancestrais… Pajelança e Encantaria Amazônica (Raimundo Maués e Gisela Villacorta).
13/09/2019 Angoleiro e performático Joãozinho da Goméia: o lúdico e o sagrado na exaltação ao candomblé. Caminhos da alma Caminhos da alma Caminhos da alma: memória afro-brasileira. (Raul Lody; Vagner Gonçalves da Silva).
27/09/2019 Semana Universitária  ____________________
11/10/2019 Macumbeiros cientistas! Fogo no Mato: A ciência encantada das macumbas (Luiz Antonio Simas e Luiz Rufino).
25/10/2019 Discussões dos temas Discussões tradição afro e casos de racismo
08/11/2019 Discussões dos temas Discussões de racismo religioso e colonialidade
22/11/2019 Discussão texto clássico. Texto a ser escolhido.

Os encontros serão realizados sempre às sextas-feiras, 19h, no ICS/UnB, andar térreo. Em caso de dúvidas, pergunte pela sala na recepção do instituto.

Convite à submissão de textos – Revista Calundu, volume 3, número 2, jul-dez 2019

(Re)Existência que continua…

Devido ao sucesso na quantidade e na qualidade dos textos recebidos para o número anterior da Revista Calundu – V.3, N.1, como também a importância de salientarmos a resistência nesses tempos de maiores agressões ao povo de terreiro e a comunidade afrorreligiosa, decidimos abrir uma segunda chamada com o mesmo tema. (Re)Existência: relatos sobre existência e resistência afrorreligiosa. Assim, seguimos interessados em publicar trabalhos, como no número anterior, “que apresentem relatos de vivências tradicionais afrorreligiosas mesmo em meio à colonial modernidade socio-econômico-estatal englobante e/ou que problematizem a temática da resistência.” Também neste número “não publicaremos textos que informem estratégias adotadas por famílias e comunidades de terreiro para se manterem vivas, pois entendemos que essas não devem ser publicadas no cenário de amplo racismo religioso que impera na América Latina.”

As submissões são feitas pelo sistema do periodicos.unb (entre aqui) e a data limite para entrar neste número é 04/10/2019. Informações como regras de publicação podem ser encontradas nos dois endereços da revista:

  • Clique aqui para ver a revista neste site do grupo Calundu
  • Clique aqui para ver a revista no sistema da UnB

Ajude o Calundu a ir pra Harvard!

O grupo Calundu recentemente teve um painel aprovado no Primeiro Encontro Continental de Estudos Afro-Latino-Americanos. Trata-se de uma grande reunião de pesquisadoras/es, que será realizada na prestigiada Universidade de Harvard, nos Estados Unidos da América. O evento contou com uma seleção rigorosa de tópicos, trabalhos e pessoas. Certamente por nosso trabalho, pela força de nossa luta e, sempre, com a bênção de Nzazi/Xangô, fomos selecionados.

Nosso painel, intitulado “Desafios contemporâneos para o exercício de fé do Povo de Santo no Brasil” tratará de tradição afrorreligiosa e racismo religioso. No painel a ser apresentado no evento, resgatamos a história de adaptação e recriação de vivências afrorreligiosas por famílias de santo ao desde a chegada das e dos primeiros africanos escravizados a este país, com consequente formação das religiões afro-brasileiras, e, a partir disso, propomos um debate sobre os principais desafios contemporâneos enfrentados pelos terreiros e no Brasil, para que seja garantida a liberdade de crença e todas as garantias subsequentes.

É de fundamental importância, especialmente em eventos de prestígio como este, discutir internacionalmente temas negros, marginalizados no Brasil e ainda mais vulneráveis no atual cenário de perda de direitos e desmonte de políticas sociais. Temas como o nosso vem continuamente perdendo espaço neste país, pelo que a internacionalização do debate se apresenta como uma alternativa importante e necessária para a sequência de nossas lutas por justiça.

Serão 4 pessoas do grupo Calundu que apresentarão os trabalhos no painel do evento.

Precisamos de dinheiro para passagens, transporte, seguro de saúde estadia e alimentação, durante 5 dias de viagem, em um local em que o preço de tudo deve ser multiplicado na razão de 1 dólar para 4 reais. Os custos devem ser pagos por nós mesmas/os e, por isso, estamos pedindo doações por meio de uma vakinha online , doações diretas (conta no site da vakinha) e/ou ajuda para divulgar este pedido de doações e o nosso trabalho.

Fizemos um pequeno vídeo para a divulgação do nosso trabalho, compartilhe!

Ajude o Calundu a ir pra Harvard! Ajude-nos a levar nossa mensagem e nossa luta por justiça ainda mais longe!

 

Makota Valdina presente!

Com muito pesar o grupo Calundu recebeu a notícia da passagem da nossa queridíssima Makota Zimewanga, a Makota Valdina.

Grande liderança afrorreligiosa, grande militante por direitos para o povo negro e para afrorreligiosas/os, a luta e vida de nossa agora ancestral inspirou desde o início o nosso trabalho. Foi ela, junto à mãe Beata de Iemanjá, quem cunhou o termo “racismo religioso”, conceito base de nossos estudos (cf. Flor do Nascimento – ver aqui). Se hoje defendemos nossas dissertações e teses calunduzeiras, muito devemos aos aprendizados que ela nos deixou.

Por todo o seu valor, fica aqui nessa breve e emocionada nota, nossa lembrança dessa grande senhora!

Makota Valdina, em sua tradição angoleira, que N’Zambi a receba em festa! A senhora lutou a boa luta, venceu e deixou seu legado. Tenha uma linda passagem junto a Mam’etu Matamba, que te encaminhará aos braços de te pai Nsumbu. Agradecemos por tudo!

 

Convite à submissão de textos – Revista Calundu v.3, n.1, jan-jun 2019

A Revista Calundu apresenta sua chamada para submissões ao próximo dossiê temático (volume 3, número 1, jan-jun 2019), a ser publicado no meio do ano de 2019. O tema será o seguinte:

(Re)Existência: relatos sobre existência e resistência afrorreligiosa.

Estamos particularmente interessados em textos que apresentem relatos de vivências tradicionais afrorreligiosas mesmo em meio à colonial modernidada socio-econômico-estatal englobante e/ou que problematizem a temática da resistência. Não publicaremos textos que informem estratégias adotadas por famílias e comunidades de terreiro para se manterem vivas, pois entendemos que essas não devem ser publicadas no cenário de amplo racismo religioso que impera na América Latina.

A data final para a submissão de textos é o dia 02/04/2019.

Acesse a revista clicando aqui.